Onde se respira música.

19/08/2017

A infindável genialidade de Hans Zimmer


Após dar uma nova cara a trilogia Batman nos anos 2000, qualquer produção de Christopher Nolan é capaz de criar alta expectativa no público - Inception e Interstellar que o digam. A bola da vez em 2017 é Dunkirk. A hype foi tão grande que o resultado originou opiniões das mais distintas. Fato é que sua parceria de sempre com Hans Zimmer na trilha sonora é infalível. O compositor alemão nunca perde a mão, e em Dunkirk não foi diferente.

Se na sétima arte o filme e a trilha são co-dependentes, em Dunkirk, Hans é capaz de produzir uma trilha tão memorável que se torna independente. As composições são capazes de te ambientar com uma facilidade fora do comum, e te submergir dentro da Segunda Guerra, diante do caos e da falta de perspectiva de salvação. O desespero vem à tona.

A trilha é angustiante quando tem que ser, e suave mas não omissa quando é preciso, o que mostra um senso de Zimmer que é incomum para os outros compositores.

O filme em si já é uma experiência única, mas assistindo ou não, todo mundo deveria dar uma chance e ouvir a trilha oficial.Se ao ouví-la você não se sentir com a vida em risco e tendo que fugir em meio a bombardeios, provavelmente nada o fará sentir isso.



Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter