Onde se respira música.

04/06/2017

Da misoginia ao budismo: a evolução dos Beastie Boys

Encontro de MCA com Dalai Lama
1994: Os Beastie Boys estouravam nas paradas com o disco "Ill Communication. No seu disco de maior sucesso, o grupo - e principalmente MCA - surgiu com letras incomparavelmente mais elaboradas, além de mostrar que estavam com os pés fincados numa evolução espiritual baseada no budismo. Além do sucesso comercial a partir de canções como "Sabotage", "Root Down" e "Sure Shot", o trio deixou claro em canções como "Shambala" e "Bodhisattva Vow" sua busca por evolução. Basta observar a letra de "Bodhisattva Vow": "As I develop the awakening mind I praise the buddhas as they shine / I bow before you as I travel my path to join your ranks / I make my full time task / For the sake of all beings I seek / The enlightened mind that I know I'll reap /  Respect to Shantidiva and all the others / Who brought down the dharma for sisters and brothers / I give thanks for this world as a place to learn / And for this human body that I'm glad to have earned" ("Enquanto desenvolvo o despertar da mente louvo a Buda enquanto eles brilham / Me curvo diante de ti enquanto viajo para o meu destino para me juntar a sua classe / Faço meu dever o tempo todo / Pelo bem de todos os seres que procuro / A mente iluminada que sei que colherei / Respeito a Shantidiva e todos os outros / Que trouxeram o dharma para as irmãs e irmãos / Agradeço a esse mundo como um lugar para aprender / E por esse corpo que estou feliz por ter ganho").

Indo além, durante a década de 90, Adam participou de causas e projetos dos mais variados relacionados ao budismo, sendo o mais importante deles a participação no Lollapalooza '94, onde o grupo defendeu a independência do Tibet em relação a China, algum tempo depois realizando seu próprio festival para tal causa, no qual houve performances em várias cidades, como San Francisco, NY, Washington, e até fora dos EUA, como em Tokyo, Sydney e Amsterdam.

Mas nem sempre foi assim. Em meados da década de 80, ainda no início do grupo e com uma sonoridade bem distante da qual ficaram famosos mundialmente, o punk, o trio expôs ideias no mínimo conservadoras e misóginas.

Em 1986 lançaram seu debut, "Licensed to Ill", que estourou nas paradas. O nome poderia ser outro completamente diferente e polêmico. Anteriormente a ideia era que fosse intitulado "Don't Be A Faggot" ("Não seja uma bicha", em tradução literal). Essa possibilidade acabou por revelar o preconceito que o grupo mostrava na época. Indo mais a fundo, na sexta faixa do debut, "Girls", um trecho revela um Beastie Boys misógino em alto e bom som: "Girls - to do the dishes / Girls - to clean up my room / Girls - to do the laundry / Girls - and in the bathroom / Girls - that's all I really want is girls / Two at a time - I want girls" ou "Garotas - para lavar as louças / Garotas - para limpar meu quarto / Garotas - para lavar as roupas / Garotas - e fazer no banheiro / Garotas - tudo que eu quero são garotas / Duas de uma vez - Eu quero garotas".

O tempo passa, e para nosso bem as pessoas evoluem - ou ao menos deveriam.

MCA morreu em 2012, de câncer de garganta. Uma perda irreparável para a música.



Abaixo, uma homenagem que se tornou anual para MCA.



Principal fonte: HuffPost Brasil

Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter