Onde se respira música.

26/06/2015

Resenha | James Taylor - Before This World [2015]


Foi uma longa espera. 47 anos até que um álbum de James Taylor, agora com 67 anos, conseguisse o #1 da Billboard. "Before This World", lançado no último dia 15, é o que se espera do veterano. "Before..." é soft rock, marca registrada da carreira do cantor americano, mas por vezes também country. É o primeiro disco de inéditas em 13 anos.

"Today Today Today" é vagarosa e conta com um conjunto de cordas que agrega muito, além, é claro, da gaita. O violoncelo é parte essencial para dar o tom em "You and I Again", além do eufônio e clisforne. "Angels of Fenway" é sustentada pela voz de Taylor ainda caindo nas graças do público, e tem apoio de Caroline Taylor. "Stretch of The Highway", é, talvez, a canção mais doce do disco. Grande parte desse status se deve à introdução dos metais, com um sax vigoroso e pontual, que faz um belo conjunto com as cordas. Lenta em sua estrutura, "Montana", sem nenhum destaque instrumental, se mostra um tanto aquém da média de nível que o álbum apresenta.

Já no segundo lado do disco, "Watchin' Over Me" é animada, e demonstra um dinâmica interessante aliada à harmonia vocal. O jogo de palavras faz "Snowtime" soar ótima, numa crescente fazendo novamente a harmonia vocal ganhar destaque. A faixa-título, junto com "Jolly Springtime" conta com uma harmonia entre violoncelo e violão impecável. "Far Afghanistan", como o próprio nome indica, é uma canção de protesto. É direta em sua mensagem. Sem rodeios, Taylor conta os efeitos da guerra e o quanto os EUA ainda não aprenderam a lição. O 9/11 é citado, além o de o cantor dizer: "Eu estava pronto para ser aterrorizado e pronto para ficar louco." Pra fechar, vem "Wild Mountain Thyme", usando da natureza como metáfora, fazendo um paralelo com o amor.

Ouça o álbum completo:

Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter

Arquivo do blog