Onde se respira música.

16/06/2015

Resenha | Faith No More - Sol Invictus [2015]


Dezoito anos de espera. DEZOITO! A expectativa não poderia ser mais alta. Muito aconteceu com todos os integrantes do Faith No More. Mike Bordin trabalhou com Ozzy Osbourne; Roddy Buttom entrou em vários projetos; Billy Gould idem; Mike Patton trabalhou com o Fantômas, Tomahawk e outros. Mas juntos eles são capazes de algo realmente grandioso. Todos sabemos disso. E a espera valeu. O FNM trouxe à tona a sintonia que sempre tiveram.

"Sol Invictus", nome em latim para "Sol não-conquistado", mostra o eterno lado experimental da banda dessa vez unido com o clima soturno. E isso já fica evidente na faixa-título, primeira do disco, totalmente ritmada. "Superhero", divulgada antes do lançamento, foi uma escolha perfeita para single, tendo papel fundamental de Billy Gould, com uma linha de baixo vistosa, e tornando a canção, ao lado dos teclados de Buttom, completamente urgente; a letra retrata o poder em mãos erradas na sociedade e a megalomania. "Sunny Side Up" conta com uma vocal cortante de Patton, além de total sintonia entre ele e o riff e Jon Hudson.

"Separation Anxiety" é pouco inspiradora, e, em sua essência, bem executada por Billy. A letra é bem fundamentada, evidenciando a dificuldade de lidar com a crescente violência e de outros males, com a angústia como uma entidade, causando trauma. "Cone of Shame" é lenta, mas ascendente, e põe em questão as falsas aparências. Pode-se notar nela uma influência de horror punk na narrativa de Patton. "Rise of The Fall" soa um tanto dançante, com uma linha simples de bateria de Mike Bordin. "Black Friday" expõe o consumismo exacerbado e a ilusão, como o próprio nome diz [a liquidação americana pós-Dia de ação de graças, que nos últimos anos tem sido feita também no Brasil]. A canção conta com violões desembocando no peso das guitarras no refrão.

"Motherfucker", outra que virou single e foi divulgada antes do lançamento do CD, teve sua letra composta com maestria, cheia de metáforas, mostrando um cenário de uma sociedade indefesa. "Matador", a faixa mais longa do álbum, tem um Mike Patton inspirado no doom em alguns momentos, mais precisamente Candlemass em "Samarithan". "From The Dead" é ritmada como "Black Friday" e tem contribuição do violão, mas não progride como na outra faixa.

O retorno do FNM não poderia ser melhor. "Sol Invictus" é diferente sem deixar de ser Faith No More, tendo os pés no chão.

Tracklist:
  1. Sol Invictus
  2. Superhero
  3. Sunny Side Up
  4. Separation Anxiety
  5. Cone of Shame
  6. Rise of The Fall
  7. Black Friday
  8. Motherfucker
  9. Matador
  10. From The Dead


Membros
Mike Bordin - Bateria
Roddy Buttom - Teclados e Vocais
Mike Patton - Vocais
Billy Gould - Baixo
Jon Hudson - Guitarra

Produção
Billy Gould - Produtor e Engenheiro de Gravação
Matt Wallace - Engenheiro de Mixagem
Maor Appelbaum - Engenheiro de Masterização

Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter

Arquivo do blog