Onde se respira música.

02/08/2014

Joias do Youtube #7: Heaven and Hell - Live from Radio City Music Hall (2007)


Se tem uma dupla responsável por manter o metal em alto nível, mesmo em seus momentos em que foi ofuscado, essa dupla é Tony Iommi e Geezer Butler. Os dois pilares do metal, e mais do que nunca, do Sabbath, principalmente Iommi, nos fazem ter uma nostalgia diferente no meio musical. Diferente de outras bandas do meio Hard, Heavy, a qualidade da dupla em conjunto com Vinny Appice e a maior voz do metal, Ronnie James Dio, no show de 2007 é tão imensa, que pode ser comparada às suas carreiras nos anos 70 e 80.

Iommi decidiu mudar o nome da banda para "Heaven and Hell" apenas para tour e posterior lançamento de álbum. E como não poderia ser diferente, a setlist consiste de canções da era Dio, com os discos "Heaven and Hell", "Mob Rules", "Dehumanizer" e a coletânea "Dio Years".

Em "E5150/After All (The Dead)", Dio consegue manter o clima doom do Sabbath do início de carreira, enquanto em "Mob Rules" a sintonia de Dio com Iommi continua perfeita. A chorosa "Children of Sea" precede todo o misticismo contigo em "Lady Evil", também do "Heaven...". "I", canção de "Dehumanizer", vem Dio cuspindo versos de imponência e com um solo cortante de Iommi. O par misterioso "The Sign of the Southern Cross" e "Voodoo" de "Mob Rules" junto com a inédita "The Devil Cried" completam a primeira parte do show. Essa última sendo uma grande prova de que a banda não se resume em excelência na execução dos clássicos, e ainda sabe compor.

O solo enérgico de Vinny ao final de "The Devil..." conta com a ajuda de um órgão para obter um clima soturno e dar início à "Computer God", de "Dehumanizer". A lenta "Falling Off The Edge of The World" tem uma ascendente impressionante e tem Dio em uma das suas melhores performances. A segunda inédita da noite, "Shadow of The Wind" parece preceder "End of The Beginning", do "13".

Para fechar a noite, quatro canções do "Heaven and Hell", que pode ser considerado o melhor álbum da fase Dio no Sabbath. "Die Young" tem um solo improvisado de Iommi e traz, como sempre, a mensagem de uma vida sem arrependimento, contendo uma das melhores letras da banda. Logo em seguida "Heaven and Hell" com sua famigerada letra cheia de dualidade. O baixo de Geezer sustenta "Lonely is The Word" ao lado de umas melhores interpretações de Dio, encarnando o espírito da canção. Para fechar, "Neon Knights", a melhor canção para fechar um show de tal magnitude, pelo simples fato de representar o início de Dio na mais importante banda de metal de todos os tempos.

Uma das apresentações para a eternidade! Confiram:

Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter