Onde se respira música.

30/07/2014

AC/DC: 1979-80, dois discos e um legado

Na semana que se passou, dois clássicos do AC/DC fizeram aniversário. Tratam-se de "Highway to Hell" e " Back In Black", que completaram 35 e 34 anos, respectivamente.

A começar por "Highway...", pode-se dizer que trata-se da era Bon Scott condensada - ou seria melhor exorcizada? - em 10 canções arrebatadas por riffs incríveis, além de, claro, um Bon Scott afiado. Canções como "Girls Got Rhythm", "Walk Over You" e "Touch Too Much" soam como um Garage Rock que "ganhou corpo". Phil Rudd tem consciência de seu papel e o executa com excelência - mesmo que em seus 40 anos, o AC/DC nunca tenha dado evidência à tal instrumento.

Em "Beating Around The Bush" pode-se notar um Bon endiabrado a cada verso. Em "Shot Down In Flames" e "If You Want Blood..." Scott tem, sem sombra de dúvidas, seu ápice selvagem em seus 5 anos com a banda. Fechando com "Love Hungry Man", que digasse de passagem, conta com uma das melhores linhas de baixo de Cliff, e "Night Prowler", que soa como um blues, que mesmo sendo a maior influência da banda, soa distante, algo não palpável, do que ela produz.

Se esqueci a faixa-título? Apenas não a mencionei por não ser necessário. O primeiro hit que fez da banda australiana visar um novo patamar.

Se havia melhor despedida? Acho que não. Em 19/02/1980, Bon Scott pegou a "estrada para o inferno" e não mais voltou. Morreu de overdose.

Aquilo poderia ser o fim do AC/DC. Porém, os irmãos Young resolveram chamar Brian Johnson, e Brian soube "pegar o bonde andando". O resultado? Talvez o mais importante "álbum de lamento" da história da música. O que dizer do segundo disco mais vendido da história (atrás apenas de "Thriller", do 'Rei do Pop')?

Brian parecia um predestinado. Como um estagiário em todos esses anos que esperava na espreita sua chance de despontar.

"Back In Black", assim como no álbum anterior, produzido por Mutt Lange, mostra um AC/DC revigorado. Se "Highway..." é o mais denso no Hard ou Rock N' Roll, "Back In Black" é o mais denso possível sendo uma ponte entre o Hard e o Heavy.

Se "Hells Bells" parece se arrastar, "Shoot to Thrill" vem à 300 km/h. Até mesmo as canções que poderiam ser B-Sides, como "Have a Drink On Me", "Givin' a Dog a Bone" se mostram com grande potencial. "Let Me Put My Love Into You" parece uma "Whole Lotta Love" bem mais sacana. "What Do You Do for Money Honey" é de uma convicção invejável. Isso sem contar os maiores hits, claro. A ode ao Rock N' Roll em "Rock N' Roll Ain't Noise Pollution" é, de longe, uma das melhores exaltações à um gênero musical.

E como dito por Brian na faixa-título, "I'm glad to be back". E que volta, amigos!




Share:

23/07/2014

Você Sabia? #26: A história de "Down With The Sickness", do Disturbed


Um dos marcos do Nu Metal, "Down With The Sickness", uma das faixas do debut do Disturbed, "The Sickness" alcançou o topo das paradas com uma letra bem controversa para os conservadores, mas que fez voltar a ser discutido um tema já antigo, e que mesmo nos dias de hoje não perdeu sua validade.

A canção, que garantiu à banda um disco de platina, relata o abuso físico de uma mãe em seu próprio, e o mesmo, cansado dos abusos e de uma mãe que nem sequer é capaz de ser um exemplo pro filho, resolve se vingar, devido à tamanha repulsa e total ódio pelas agressões sofridas.

A banda resolveu gravar um clipe com registros ao vivo, porém, seu clímax, o trecho em que o filho resolve praticar a vingança, é cortada, devido ao vocabulário usado.

Abaixo você pode conferir o clipe oficial e o ao vivo, com esse trecho adicionado, além da letra:

(Você pode sentir isso?)
(oh, que merda)
O-WA-A-A-A
O-WA-A-A-A
Se afogando profundamente em meu mar de abominância,
Quebrado, seu criado, eu me ajoelho
(Você cederá ante mim?)
Parece que tudo que sobra do meu lado humano está mudando lentamente ... em mim.
(Você cederá ante mim?)
Olhando meu próprio reflexo, quando de repente ele muda, violentamente ele muda
Oh, não. Não tem volta agora que, você acordou o demônio... em mim.

Se levante, venha junto com a doença!
Se levante, venha junto com a doença!
Se levante, venha junto com a doença!
Abra seu ódio e deixe-o fluir em mim.
Se levante, venha junto com a doença!
Seu filho se levante, venha junto com a doença!
Sua puta se levante, venha junto com a doença!
Insanidade é o dom que foi dado a mim.

Eu posso ver dentro de você, a doença está se alastrando, não tente negar o que você sente.
(Você cederá ante mim?)
Parece que tudo aquilo que era bom está morto e está se deteriorando em mim.
(Você cederá ante mim?)
Parece que você está tendo alguma dificuldade em lidar com estas mudanças, em viver com estas mudanças.
Oh, não. O mundo é um lugar assustador agora que você acordou o demônio... em mim.

Se levante, venha junto com a doença!
Se levante, venha junto com a doença!
Se levante, venha junto com a doença!
Abra seu ódio e deixe-o fluir em mim.
Se levante, venha junto com a doença!
Seu filho se levante, venha junto com a doença!
Sua puta se levante, venha junto com a doença!
Insanidade é o dom que foi dado a mim.

E quando eu sonho...
E quando eu sonho...
E quando eu sonho...
E QUANDO EU SONHO!

Não, mamãe! Não faça isto novamente.
Não faça isto novamente, eu serei um menino bom
Eu serei um menino bom, eu prometo.
Não, mamãe! Não me bata!
Oh, por que você teve que me bater daquele jeito, mamãe?
Não faça isso! Você está me machucando!
Por que você tem que ser tão puta?
Por que você não... Por que você não cai fora e morre?
Por que você não pode sair daqui e morrer?
Por que você não sai daqui e morre?
Nunca acerte sua mão em meu rosto de novo, sua vadia!
VÁ SE FODER!!!
Eu não preciso desta merda!
Sua estúpida, sádica, abusiva, prostituta de merda!
Você não gostaria de ver como é, mamãe?
Aqui, vem! Se prepare para morrer!

O-WA-A-A-A

Se levante, venha junto com a doença!
Se levante, venha junto com a doença!
Se levante, venha junto com a doença!
Abra seu ódio e deixe-o fluir em mim.
Se levante, venha junto com a doença!
Seu filho se levante, venha junto com a doença!
Sua puta se levante, venha junto com a doença!
A insanidade agora me domina!



Share:

21/07/2014

Covers #27: Black Sabbath vs Soundgarden


As bandas são pioneiras e expoentes em seu gênero e isso contribue para que o legado do Sabbath continue transparente através de uma banda do alto escalão ao qual faz parte o Soundgarden.

Um dos hits de seu terceiro álbum, "Master of Reality", "Into The Void", tem o toque de gênio do Riff Lords Tony Iommi, além de uma linha de baixo no mínimo sensacional de Geezer Butler, onde cada instrumento tem o seu show à parte e se complementa no conjunto. Mesmo já em seu terceiro disco, o Sabbath ainda tinha capacidade de soar totalmente doom, lembrando seu primeiro disco.

Já em 1991, o Grunge começava a crescer, e o Soundgarden, já "ganhando corpo na estrada", lança "Badmotorfinger", que conta com clássicos como "Rusty Cage" e "Jesus Christ Pose". Mas em 1992, uma edição limitada do álbum é lançada contendo covers de Stones e, claro, "Into The Void". Instrumentalmente a versão não fica pra trás da original, e além disso, a banda resolveu adicionar uma letra de protesto de Chief Sealth, que foi líder de algumas tribos e viveu no século XVIII e XIX.

Confira as duas versões abaixo:


Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter