Onde se respira música.

21/06/2014

Você Sabia? #25: A história de "Who'll Stop The Rain?", do Creedence


"Who'll Stop The Rain" faz parte do quinto álbum da banda, "Cosmo's Factory". A canção, lado B do single "Travelin' Band", se refere à Guerra do Vietnã que ocorria na época, e tem seu total ponto de vista humano, sendo uma linha de pensamento paralela à de Aristóteles, que tem como crédito a frase "Nós fazemos guerra para que possamos viver em paz".

A chuva a que se referem na canção é uma simples metáfora. As nuvens de mistério são os seres humanos, e a chuva, a guerra em si. Os seres humanos buscam o sol que seria a paz. "Os cantores" presentes em um dos versos, são as pessoas que querem alentar os cidadãos que sofrem com a guerra. Durante seus dois minutos e meio a banda entoa um protesto e um certo cinismo aos políticos da época, que se torna claro nos versos "Planos de cinco anos e novos acordos / Enrolados em correntes de ouro".

A canção alcançou a posição #2 nas paradas americanas, e está na posição #188 das 500+ da Rolling Stone.

Confiram a letra e canção logo abaixo:

"Tanto tempo quanto consigo me lembrar
A chuva caía
Nuvens de mistério jorravam
Confusão no solo
Os homens bons através das gerações
Tentam encontrar o sol
E eu me pergunto, Ainda me pergunto
Quem irá parar a chuva?

Eu fui até a Virgínia
Buscando abrigo da tempestade
Caí naquela velha fábula
Assisti a torre crescer
Planos de cinco anos e novos acordos
Enrolados em correntes de ouro
E eu me pergunto, Ainda me pergunto
Quem irá parar a chuva?

Ouvíamos os cantores tocando
Como nós aplaudíamos por mais!
A multidão se aglomerou
Tentando se manter aquecida
A chuva continuava caindo
Caindo em meus ouvidos
E eu me pergunto, Ainda me pergunto
Quem irá parar a chuva?"

Share:

20/06/2014

Covers #26: The Monkees vs Smash Mouth


Nos anos 60 o pop/rock reinava, principalmente em seu início, com os Beatles e Beach Boys. Foi nessa época que os Monkees surgiram no cenário. Um pop/rock de apelo comercial escancarado, mas que funcionava. "I'm a believer" foi, provavelmente, o mais explícito deles. Com seu baterista Micky Dolenz nos vocais, um mellotron puxando o ritmo, eles tinham a receita para chegar ao topo das paradas. Pela década inteira os Monkees se sustentaram, e hoje, praticamente vivem da produção da época.

Já nos anos 90 o Smash Mouth deu uma bela revigorada na canção. Sem o mellotron, e com um som mais encorpado, fizeram renascer o hit e voltar ao topo. Fato também que no começo dos anos 2000 a canção voltou a ter destaque como trilha do filme Shrek.

Confira as duas versões abaixo:



Share:

14/06/2014

Você Sabia? #25: A história de "Dum Dum Boys", de Iggy Pop

"The Idiot" é o primeiro álbum solo de Iggy, e ainda que a lenda viva tenha buscado seguir seu próprio rumo, nesse primeiro disco o The Stooges, banda com quem lançara 3 álbuns em 4 anos, ainda fazia parte da sua vida. Isso fica claro na faixa 6, do lado B de seu debut.

Zeke Zettner (à esquerda)

Dave Alexander, em 1969
"Dum Dum Boys" é "dedicada" aos ex-membros dos Stooges Zeke Zettner e Dave Alexander - e um alerta para James Williamson. Um lamento pop de sete minutos. Zeke iniciou-se na música como roadie dos Stooges e se tornou baixista da banda justamente a partir da saída de Dave após o lançamento de "Funhouse". Irônico o fato de ambos terem morrido por excessos. Zeke morreu em 1973 por conta de uma overdose em heroína, enquanto Dave faleceu dois anos depois por conta de um edema pulmonar causado pelo alcoolismo.

Numa tradução literal, Iggy os considera como "Os garotos burros". Isso fica evidente já na estrofe inicial:


What happened to Zeke? | O que aconteceu com Zeke?
He's dead on jones, man | Ele morreu de heroína, cara
How about Dave? | E Dave?
OD'd on alcohol | Overdose de álcool
Well what's Rock doing? | Bem, o que Rock está fazendo?
Oh, he's living with his mother | Oh, ele está vivendo com sua mãe
What about James? | E James?
He's gone straight | Ele está se endireitando

Confira:

Share:

12/06/2014

Tenacious D: A referência cult de Jack Black

Do carisma e do talento que Jack Black possui, ninguém discute. Fato é que seu envolvimento no mundo musical e cinematográfico traz uma visão muito mais ampla, e nisso, o que muita gente não sabe é que ele, junto com Kyle Gass, seu parceiro de banda, incluíram em "The Pick of Destiny", filme de 2006, uma referência cult. Em uma de suas músicas que serviram de trilha para o filme, "Baby", eles fizeram uma alusão explícita à primeira cena do filme de Stanley Kubrick, "Laranja Mecânica", de 1971. A referência torna-se notável por conta da aparência pitoresca dos arruaceiros que violentam Jack no filme, assim como são Alex DeLarge e cia. em "Laranja...".

Uma homenagem desse tipo faz reavivar um clássico do cinema, e pode acender o interesse principalmente de jovens que não puderam viver a época desse filme que se tornara um definitivo do cinema (e da literatura, claro).

Confiram:

Trecho de "The Pick of Destiny", do Tenacious D




Trecho de "A Clockwork Orange", de Stanley Kubrick

Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter