Onde se respira música.

06/03/2014

Afinal, o que seria "música boa"?


Algo que muitos dizem, mas que, na realidade, parece inalcançável. Afinal, o que seria a "música boa"?

Quando essa se torna a resposta de alguém sobre seu interesse musical, sinto de total arrogância, afinal, nada, nem ninguém é capaz de definir a "música boa". Todos nós, sem quaisquer discriminações, podemos não gostar do que deveria ser quase unânime. A história nos pede para reverenciar Beatles ou Stones, por exemplo, mas não significa que ninguém deva curtir. Álbuns como "Dark Side of The Moon", "Sgt. Peppers...", entre outros, deveriam estar na coleção de todos, porém, não é o que acontece. O nosso interesse musical vai não somente do gosto em si. Tampouco do que cada um artista ou banda representam. Vai da visão política, comportamental, social, entre outros âmbitos.

Algo que hoje você venera pode perder espaço e importância em sua vida, assim como algo que hoje não significa nada no seu conceito e estilo de vida pode, aos poucos, ser interpretado com outros olhos, afinal, sua visão sobre qualquer coisa muda com o passar do tempo, quer queira, quer não queira, naturalmente e gradualmente, de tal forma que sua percepção quanto à mudança vêm apenas após alguns meses ou até anos.

Dessa forma, desde que o mainstream musical e até a grande mídia não tenham influências sobre sua visão em todos os aspectos do espaço em que vivemos, você pode simplesmente viver numa bolha, onde sua opinião formada é que direciona o que você procura ouvir e se satisfazer. E a opinião formada só existirá a partir da busca, por todos os meios, de todas as visões possíveis de fatos.

Pois então, o que te faz ouvir suas bandas preferidas?
Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter