Onde se respira música.

20/04/2013

O dom de coverizar #1: Johnny Cash

A partir dessa semana, lembraremos sempre daqueles artistas / bandas, que sabem como performar um cover.

Um cover vai muito além de fazer sua versão da música. Já inicia pela escolha da música. Ela pode ser incrível, mas tem que coincidir com o timbre do vocalista e também coincidir com o estilo dos instrumentistas. Uma banda pode arruinar uma canção, assim como também pode tornar graciosa uma música nunca antes valorizada.



E para começar, acho que ninguém melhor que um dos mestres do Country. Sim, estou falando de Johnny Cash. O auge de Cash pode até ter sido nos anos 60, com grandes hits e o glorioso "At Folsom Prison", mas em meados da década de 90 até sua morte, em 2003, Johnny foi capaz de nos agraciar com ótimos covers. Vamos aos melhores:



"In My Life", dos Beatles

Mesmo debilitado - e nota-se isso no verso "All my liiiife / Though some have changed" - Cash foi capaz de dar uma emoção única à esta grande canção dos Beatles.




"Solitary Man", de Neil Diamond

Esta é uma daquelas que mostram como Cash tinha o dom de as músicas ganharem uma identidade
tão diferente que elas pareciam suas.




"The First Time Ever I Saw Your Face", de Roberta Flack

A melancolia domina. E só a voz dele é capaz de convencer isso...




"Redemption Song", de Bob Marley

Quando você para pra pensar: Uma música do mestre do Reggae, tocada pelo mestre do Country juntamente com um dos porta-vozes da fúria do Punk, você já sabe que o resultado vai ser bom...




"Hurt", do Nine Inch Nails

Um cover quase unânime: Aparentemente, essa música soa mais de Johnny do quê de Trent Reznor, tamanha a identificação do público com sua versão. Talvez sua música de despedida desse mundo...

"What have I become, my sweetest friend?". Uma frase capaz de nos fazer buscar no interior todas as nossas atitudes e as por em questão para nos tornarmos pessoas melhores.

Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter