Onde se respira música.

28/04/2013

Johnny Cash, o assistente de xerife

Fonte: Senhor Cash



Fora da lei? Há controvérsias! Johnny Cash recebeu em 1979 esta carteirinha que o legitimava como agente da lei no condado de Davidson, Tennessee (EUA) com o posto de assistente de xerife. Esta curiosidade foi encontrada através do tumblr retrô David Cowles Studios.

O mais engraçado é que o Homem de Preto possuía uma fama bem diferente. Talvez por Cash se apresentar voluntariamente em penitenciárias desde o início de sua carreira. Além disso, músicas como "Cocain Blues", "Folsom Prison Blues" e "San Quentin" contavam sempre histórias de presidiários e criminosos. E isso sem falar nos álbuns "At Folsom Prison" e "At San Quentin", que foram gravados dentro das prisões.

Porém, ao contrário do que muitos fãs imaginavam, o Man in Black nunca ficou na cadeia por muito tempo. Seu maior problema com a lei foi em 1965, quando um esquadrão antinarcóticos em El Paso, Texas, o pegou em flagrante. Os oficiais pensavam que Cash trazia heroína do México, mas na verdade eram apenas anfetaminas, escondidas na caixa de seu violão. Cash também foi preso no ano seguinte em Starkville, Mississippi, ao invadir uma propriedade privada para apanhar flores.
Share:

27/04/2013

Você Sabia? #19: A história de "Vital e Sua Moto", dos Paralamas


O ano era 1983, e os Paralamas ainda estavam em início de carreira. Lançaram nesse mesmo ano "Cinema Mudo", seu primeiro CD. Para quem não sabe, o primeiro baterista da banda não foi João Barone, mas sim Vital Dias, que só deixou a banda por faltar em uma apresentação sem nenhum motivo esclarecido até hoje.

Vital nem sequer chegou a ter quaisquer créditos no primeiro disco.

Como é evidente na música, tudo que ele mais queria era uma moto. Os argumentos na composição são bem claros. De uma forma ou de outra, foi uma bela homenagem ao primeiro baterista da banda.

Confiram a letra e o vídeo logo abaixo:

Vital andava a pé e achava que assim estava mal
De um ônibus pro outro aquilo para ele era o fim
Conselho de seu pai: "Motocicleta é perigoso, Vital.
É duro de negar, filho, mas isto dói bem mais em mim."

Mas Vital comprou a moto e passou a se sentir total, sentir total
Vital e sua moto, mas que união feliz
Corria e viajava, era sensacional
A vida em duas rodas era tudo que ele sempre quis

Vital passou a se sentir total
Com seu sonho de metal

Os Paralamas do Sucesso iam tentar tocar na capital, na capital
E a caravana do amor então pra lá também se encaminhou
Ele foi com sua moto, ir de carro era baixo astral
Minha prima já está lá e é por isso que eu também vou

Os Paralamas do Sucesso iam tentar tocar na capital
Vital e sua moto, mas que união feliz

Share:

22/04/2013

Joias do Youtube #3: Black Sabbath - Live in Paris (1970)


O ano: 1970

A banda: A pioneira do metal. O grandioso Black Sabbath.

Aquele era só o começo. Mas que começo. Antes de um dos shows mais épicos do Metal, a banda já havia lançado "Black Sabbath" e "Paranoid" no mesmo ano, sendo os dois melhores discos da era Ozzy, diga-se de passagem.

Pouco menos de uma hora de show, mas tempo suficiente para se deliciar com o melhor que uma banda de Metal pode nos oferecer. Nos dois primeiros minutos vemos um Ozzy palhaço, fazendo a jus à música que dá início ao show, "Paranoid". Daí para frente, só o "filé". Clássicos como "N.I.B.", "Black Sabbath" e "Behind The Wall of Sleep" dão o tom do primeiro disco, enquanto "Hand of Doom", "Rat Salad" (estrelando Bill "Bonzo" Ward), "War Pigs", "Iron Man" e "Fairies Wear Boots", do segundo, incendeiam o público presente.

Nascia o Metal.

Share:

20/04/2013

O dom de coverizar #1: Johnny Cash

A partir dessa semana, lembraremos sempre daqueles artistas / bandas, que sabem como performar um cover.

Um cover vai muito além de fazer sua versão da música. Já inicia pela escolha da música. Ela pode ser incrível, mas tem que coincidir com o timbre do vocalista e também coincidir com o estilo dos instrumentistas. Uma banda pode arruinar uma canção, assim como também pode tornar graciosa uma música nunca antes valorizada.



E para começar, acho que ninguém melhor que um dos mestres do Country. Sim, estou falando de Johnny Cash. O auge de Cash pode até ter sido nos anos 60, com grandes hits e o glorioso "At Folsom Prison", mas em meados da década de 90 até sua morte, em 2003, Johnny foi capaz de nos agraciar com ótimos covers. Vamos aos melhores:



"In My Life", dos Beatles

Mesmo debilitado - e nota-se isso no verso "All my liiiife / Though some have changed" - Cash foi capaz de dar uma emoção única à esta grande canção dos Beatles.




"Solitary Man", de Neil Diamond

Esta é uma daquelas que mostram como Cash tinha o dom de as músicas ganharem uma identidade
tão diferente que elas pareciam suas.




"The First Time Ever I Saw Your Face", de Roberta Flack

A melancolia domina. E só a voz dele é capaz de convencer isso...




"Redemption Song", de Bob Marley

Quando você para pra pensar: Uma música do mestre do Reggae, tocada pelo mestre do Country juntamente com um dos porta-vozes da fúria do Punk, você já sabe que o resultado vai ser bom...




"Hurt", do Nine Inch Nails

Um cover quase unânime: Aparentemente, essa música soa mais de Johnny do quê de Trent Reznor, tamanha a identificação do público com sua versão. Talvez sua música de despedida desse mundo...

"What have I become, my sweetest friend?". Uma frase capaz de nos fazer buscar no interior todas as nossas atitudes e as por em questão para nos tornarmos pessoas melhores.

Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter