Onde se respira música.

25/02/2013

Você Sabia? #18: A história de "Jeremy", do Pearl Jam

Basicamente, "Jeremy" é conhecida por muitos. É inegável que se trata de um dos maiores hits do Pearl Jam. A maioria das pessoas sabe que se trata de um suicídio de um jovem, mas os motivos e como isso aconteceu é novidade para muitos. Por isso vamos detalhar toda a história para vocês.


"Jeremy" é baseada em duas histórias reais. A inspiração principal veio de uma matéria de jornal sobre um garoto de 15 anos, Jeremy Wade Delle, nascido em 10 de Fevereiro de 1975, de Richardson, Texas, EUA, que cometeu suicídio com uma arma de fogo na frente de sua turma de Inglês, na Richardson High School, no dia 8 de Janeiro de 1991, pelas 9:45 horas. Em uma entrevista concedida em 2009, Eddie Vedder disse que sentiu que "precisava pegar aquela pequena notícia de jornal e transformá-la em algo que causasse uma reação, transformar em algo maior."


Delle foi descrito pelos seus colegas de aula como "muito tímido" e era conhecido por sempre aparentar que estava triste. Após chegar atrasado na escola aquela manhã, foi dito a Delle que pegasse uma autorização na direção. Ele saiu da sala e voltou com um revolver .357 Magnum. Delle foi até a frente da classe, anunciou "Senhorita, eu peguei o que tinha ido buscar", colocou o cano da arma na boca, e puxou o gatilho antes que a professora ou alguém de sua turma pudessem fazer alguma coisa.


Jeremy era filho de Joseph R. Delle, com quem ele vivia, e de Wana Crane. O casal se divorciou em 1979. Após o ocorrido, o Sr. Delle não pôde ser achado, enquanto a Sra. Crane, através de um porta-voz, não quis comentar.

O diretor Jerry Bishop disse que Jeremy assistia às aulas esporadicamente, e que tinha se encontrado com o rapaz e seu pai para discutir o problema. A polícia disse que Jeremy havia conversado com seu pai, pedindo ajuda, mas não puderam detalhar.

Segundo a polícia, Jeremy tinha premeditado tudo, pois havia deixado um bilhete suicida com um colega de classe. Os investigadores não quiseram revelar o conteúdo do bilhete. O sargento disse que a polícia não faz a mínima ideia de como o jovem conseguiu a arma nem do porquê de ter se matado em plena sala de aula lotada. Os colegas de Jeremy que presenciaram o suicídio ficaram traumatizados e necessitaram ser recolhidos a uma outra sala para ajuda psicológica.


Quando perguntado sobre a música, Vedder explicou:

"Veio de um pequeno parágrafo em um papel, significando que você se mata e faz um sacrifício como forma de vingança. É só o que você vai conseguir, um parágrafo no jornal. Dezessete graus e nublado numa vizinhança suburbana. Esse é o começo do clipe, que é igual ao final do clipe, nada acontece … nada muda. O mundo continua e você se foi. A melhor vingança é viver e provar que você consegue. Seja mais forte que aquelas pessoas. E aí você poderá voltar."

A outra história na qual a música é baseada, envolve um estudante que Vedder conheceu no ginásio em San Diego, Califórnia. Ele contou mais detalhes em uma entrevista concedida em 1991:

"Quando eu estava no ginásio, em San Diego, Califórnia, eu conheci uma pessoa que fez a mesma coisa, só que ele não se matou, mas acabou dando uns tiros numa turma de oceanografia. Eu me lembro de estar nos corredores e ouvir a respeito, e eu realmente havia implicado com o rapaz no passado. Eu era um quinto-anista bem rebelde e acho que brigamos ou algo assim. Então é um pouco sobre um garoto chamado Jeremy e é também um pouco sobre um garoto chamado Brian que eu conhecia mas não sabia quem era...a música, eu acho que diz muito. Eu acho que chega a algum lugar...e muitas pessoas interpretam de forma diferente e foi só recentemente que comecei a falar a respeito do verdadeiro significado e espero que ninguém se ofenda e acredite em mim, eu penso em Jeremy quando canto."

Abaixo alguns relatos de alunos da turma de Jeremy:

“Ele era muito quieto, e agia estranho algumas vezes. Agia como se tivesse uma tristeza muito grande” 
 Koury Kashiem, 15 anos na época


“A gente ficava trocando bilhetes (na sala de suspensão), e ele falava da vida e coisas assim. Ele assinava todos os bilhetes com ‘Responda’, mas na segunda-feira, ele escreveu, 'Até mais tarde’. Eu não sabia o que pensar daquilo. Mas nunca imaginei que isso fosse acontecer”. 
Lisa Moore, 16 anos na época


“Nunca pareceu que havia algo de errado com ele. Ele sempre fazia piada de tudo.” 
Sean Forrester, 17 anos na época


Brian Jackson, de 16 anos, disse que estava abrindo o seu armário no corredor, quando ouviu um barulho, como o de alguém largando um livro pesado sobre a mesa. “Eu achei que estavam encenando alguma peça pra um trabalho ou coisa parecida. Mas então eu ouvi muitos gritos e uma menina loira saiu da classe chorando desesperada.”

Assustado porém curioso, Brian foi ver dentro da sala o que estava acontecendo quando viu o corpo de Jeremy no chão, sangrando. “A professora estava contra a parede, chorando e tremendo… Algumas pessoas estavam segurando ela, porque ela parecia estar quase desmaiando”.

Outro estudante, Howard Perre Felman, do 3° ano, estava numa aula de política quando ouviu o tiro. No começo os colegas fizeram piada do barulho, imaginando ser alguém aprontando alguma brincadeira. “Mas então escutamos uma menina gritar correndo pelo corredor. Era um grito de desespero, vindo do coração, emocionado.”



Confiram a letra logo abaixo juntamente com o clipe:


Em casa
Desenhando figuras de topos de montanhas
Com ele no topo, sol amarelo limão
Braços erguidos em "V"
Os mortos estendidos em poças de cor marrom embaixo deles

Papai não deu atenção
Para o fato de que a mamãe não se importava
Rei Jeremy, o perverso
Governou seu mundo

Jeremy falou na aula de hoje

Me lembro claramente
Perseguindo o garoto
Parecia uma sacanagem inofensiva

Mas nós libertamos um leão
Que rangeu os dentes
E mordeu os seios da menina na hora do intervalo

Como eu poderia esquecer?
E me acertou com um soco de esquerda de surpresa
Meu maxilar ficou machucado

Deslocado e aberto
Assim como no dia
Como no dia em que ouvi

Papai não dava afeto, não
E o garoto era algo
Que mamãe não aceitaria
Rei Jeremy, o perverso
Governou seu mundo

Jeremy falou na aula de hoje

Tente esquecer isso (tente esquecer isso)
Tente apagar isso (tente apagar isso)
Do quadro negro

Jeremy falou na aula de hoje

Jeremy falou
Falou

Jeremy falou na aula de hoje


Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter