Onde se respira música.

15/02/2013

Storm Thorgerson: O mestre das capas e "6º membro" do Pink Floyd




Pelo menos toda semana, no "Perdidos na História", nós trazemos para vocês o legado de músicos geniais que mudaram o mundo da música. Mas, além desses, existem outras figuras que são essenciais para o universo musical e que, mesmo sem nunca terem tocado uma nota, também conseguiram revolucionar muita coisa nesse meio.

Um belo exemplo do que eu estou falando é um homem chamado Storm Thorgerson – o cara por trás de capas do Pink Floyd, Muse, AC/DC, 10cc, Anthrax, Yes, The Cranberries, e de muitas, muitas outras bandas.

Nascido na Inglaterra em 1944, Thorgerson nunca havia trabalhado com design ou algo do tipo. Ele estudava  em Cambridge , junto com dois jovens chamados Syd Barret e Roger Waters, que mais tarde, formaram uma banda chamada Pink Floyd. Quando eles iam gravar o seu segundo disco, A Saucerful of Secrets (de 1967), Thorgerson foi chamado para fazer a capa do disco. O resultado foi esse:


Daí pra frente, as capas de disco (principalmente do Pink Floyd) nunca mais seriam as mesmas. Isso que eu falei pode soar um exagero, mas não é. Vem comigo que eu te provo.

Em 68, junto com Aubrey Powell, ele fundou o estúdio Hipgnosis – especializado em fazer capas de discos. Sobre esses trabalhos, vou deixar que algumas das capas e o nome que elas carregam falem por si:


É pouca coisa? É! Isso tudo é apenas um pouquinho das mais de 200 capas que os caras fizeram nos 14 anos de estúdio (o resto você pode ver aqui).

No começo, Thorgerson e Powell usavam o estúdio da faculdade para trabalhar. Depois que eles se formaram, começaram a utilizar o banheiro da casa de Powell. Após muitos trabalhos eles finalmente conseguiram comprar um estúdio de verdade.

Vale lembrar que nessa época não existia Photoshop e nenhum software de edição de imagens. Essas loucuras todas eram feitas na unha mesmo, com técnicas super bem elaboradas e uma criatividade genial. A capa de "Momentary Lapse of Reason", por exemplo, é realmente uma fotografia de 700 camas colocadas em uma praia.

E foi nesse pequeno estúdio na Inglaterra, com apenas dois artistas, que foi concebida uma das mais clássicas capas de disco de todos os tempos: a de "Dark Side of the Moon". O sucesso do disco é indiscutível, tal como a qualidade dele. Era óbvio que uma capa tão simples, emblemática e profunda também pegaria uma carona no sucesso do álbum. E não deu outra.


Após o lançamento de "Dark Side of The Moon" vários artistas grandes começaram a procurar o trabalho do Hipgnosis para suas capas. Consequentemente, o estúdio foi crescendo e Powell e Thorgerson contrataram outros grandes designers. Mesmo com todo o sucesso, a dupla sempre manteve a política de que os clientes deveriam pagar apenas o que achassem justo pelo trabalho (o que trouxe sérios problemas financeiros). E assim foram, até que em 83 o clássico Hipgnosis fechou suas portas.

Powell seguiu na área dos vídeos, trabalhando principalmente com o The Who. Enquanto Thorgerson abriu o Storm Studios e continuou produzindo capas de álbum, mas também vídeos e outros materiais. Os seus trabalhos continuam sendo prestigiados e bandas como o Muse ainda procuram Storm Thogerson para produzir suas capas.

Além das capas, Thorgerson já fez alguns clipes bem conceituados, como "Learning to Fly" (Pink Floyd) e "Owner of Lonely Heart" (Yes). Ele também já escreveu vários livros sobre arte, Pink Floyd e sua carreira. Ah! Ele também já gravou uma série de filmes e documentários.






Hoje Storm Thorgerson já está beirando os seus 67 anos. A marca que ele deixou seja para a arte visual ou para a música é imensurável. Como o título do post sugere, com certeza você já apreciou o trabalho dele em alguma capa de algum disco que você já viu na sua vida, mesmo que não soubesse quem era o autor daquela arte.

No Pink Floyd, ele fez quase todas as capas – exceto Pipers at the gates down, Relics, The Wall e The Final Cut. Por isso mesmo, e pela amizade que ele tinha com os membros, Thorgerson é muitas vezes considerado o sexto membro do Pink Floyd.

Mas ele foi além e não ficou só no Floyd. 40 anos depois, seus trabalhos ainda inspiram pessoas de todas as gerações e estão presentes em muitas capas que ainda serão apreciadas por novas cabeças. Enquanto isso, você pode ficar tentando decifrar um prisma de cores ou vários ursinhos de pelúcia enterrados, enquanto assiste um vídeo com um índio que queria voar. É tudo obra da mesma cabeça.

“Quando me perguntam o que eu faço eu respondo de diversas maneiras. Para as tradições de Vossa Majestade, eu sou um fotógrafo; para a imprensa musical, eu sou um designer gráfico; para as pessoas do cinema, eu sou um diretor; para minha mãe eu sou um artista! Para os meus queridos, eu sou uma dor na bunda. Alguns músicos sarcásticos me veem como um cafetão que na verdade não faz muitos trabalhos. Meus funcionários e, pessoas que acreditam em mim, sabem que o que eu faço são apenas imagens. Eu penso em ideias, normalmente com colaboração de outros, e tento concretizar essas ideias – seja por fotografia ou filmes.” – Storm Thorgerson em “Mind of Matter”
Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter