Onde se respira música.

21/07/2011

Roger Waters: "The Wall" of Berlin

Fonte: Perdidos no Ar



21 de Julho de 1990: Essa foi a data de um dos mais memoráveis shows da história do rock. Assim como o 13 de julho é designado como "dia mundial do rock", essa homenagem poderia perfeitamente ser substituída, e feita no dia que está no título.

Em novembro de 1989 vinha abaixo o maior símbolo da guerra fria entre os Estados Unidos e a União Soviética. Curiosamente, esse marco não ficava em nenhum desses países, e sim em Berlim, hoje capital da Alemanha, mas na época dividida entre capitalistas e socialistas. O muro, construído para separar a cidade, caiu pelas próprias mãos dos moradores, depois de 29 anos de existência.

Mas o que isso tem a ver com rock, você deve estar se perguntando. Pois bem, Roger Waters, eterno membro do Pink Floyd no coração dos fãs, mas na época, em lítigio judicial e fora da banda, pensava em fazer um megashow para arrecadar fundos para o Memorial Fund for Disaster Relief (instituição que visava auxiliar vítimas de desastres).

Vários locais foram especulados para um show que aconteceria no final dos anos 80. Porém, com a queda do muro, ficou decidido que o lugar não só seria na cidade de Berlim, mas também onde a construção estava localizada. Portanto, o evento, com atraso de alguns meses devido a entraves burocráticos, ocorreu entre a Potsdamer Platz e o Portão de Brademburgo, antiga "terra de ninguém", reunindo entre 250 e 350 mil pessoas.


A produção foi de dar inveja a qualquer coisa já feita nessa matéria. O palco tinha 170 metros de largura e um muro de 25 metros de altura, construído e posteriormente destruído durante o espetáculo por gruas gigantescas. Toda essa brincadeira foi orçada em "apenas" 10 mihões de dólares

O setlist foi o clássico "The Wall" na íntegra. O álbum, composto por Waters, conta a história de Pink, um rockstar que perdeu o pai na segunda guerra e foi criado pela mãe reguladora. Inserido em uma sociedade hipócrita e abusiva, Pink se rebela perante essa situação. O contexto e o local, junto com a música, não poderiam ser mais apropriados.

Para completar, o concerto contou com participações especiais de Joni Mitchell, Cindy Lauper, Bryan Adams, Van Morrison, The Band, Sinead O'Connor (fazendo uma versão de "Mother" sensacional) e os nativos Scorpions.

O lugar certo, na hora certa, com as pessoas certas. Não poderia dar errado.



Share:

Tradução

Feed

Digite seu email abaixo:

Instagram

Twitter

Arquivo do blog